A COMUNICAÇÃO POLÍTICA NA MONARQUIA PLURICONTINENTAL PORTUGUÊSA (1580-1808): Reino, Atlântico e Brasil

Principal Investigator: Nuno Gonçalo Monteiro (ICS-UL).

Sponsor: FCT.

Reference: PTDC/HIS-HIS/098928/2008.

Este projecto não propõs o estudo de uma informação desconhecida, mas uma outra forma de olhar e de tratar fontes já parcialmente consultadas. O termo «comunicação política» tem sido utilizado pelos cientistas políticos para qualificar as novas modalidades de circulação da informação política nas sociedades recentes que já não se confinam apenas à recepção passiva e massiva da televisão, mas se alargam também a outros meios e agentes, incluindo a internet, alterando os conteúdos e as formas de intervenção. Retomamo-lo aqui para sublinhar a relevância de se conhecerem e estudarem os agentes produtores, os ritmos de produção, os canais de circulação, a tipologia dos assuntos, e, por fim, o destino final das solicitações feitas nas periferias para o centro da monarquia portuguesa e vice-versa na dimensão pluricontinental que teve nos séculos XVII e XVIII. Trata-se de uma questão essencial, em parte já estudada com outras designações, mas que ganha muito em ser pesquisada de forma sistemática, relativamente uniforme e comparando diversos espaços geográficos.  Então, o que se pretende sugerir é que as petições, de todo o tipo, eram um instrumento essencial de comunicação política na monarquia portuguesa do Antigo Regime e que a investigação sistemática sobre as mesmas permitirá compreender muito melhor as formas do seu funcionamento político e os seus mecanismo de integração.

IMAGEM: Guerra luso holandesa na América do Sul no seculo XVII, 1645.
http://marinhadeguerraportuguesa.blogspot.pt/2013/11/guerra-lusa-holandesa-xvi-xvii-ii.html