Entrevista ao historiador Sanjay Subrahmanyam

“Desde o início era para mim evidente que o interesse era colocar o império português num contexto mais largo e, metodologicamente, mais aberto. Também importava combinar um pouco o ponto de vista filológico com uma perspetiva de imperialismo comparado.“

“Há histórias globais que acho totalmente sem interesse, como a história global de [Jürgen] Osterhammel. É uma espécie de acumulação de dados sem uma ideia teórica. É como fazer listas de temas e objetos.”

Sanjay Subrahmanyam em entrevista ao GI Impérios, na Análise Social (2018)

Em 2016, o GI Impérios acolheu no ICS-ULisboa o historiador indiano Sanjay Subrahmanyam, autor de uma vasta e importante obra de referência sobre o império colonial português. Esta ocasião resultou numa entrevista colectiva a este historiador, da qual se extraem os fragmentos em epígrafe.

Nesta entrevista, publicada na Análise Social, procurou compreender-se o lugar do império  português, e dos impérios ibéricos no percurso intelectual deste autor; mas também, em geral, as potencialidades de internacionalização dos estudos sobre o império português. A história global, as histórias conectadas, a micro-história, a etno-história, as possibilidades e os limites da comparação, e até mesmo a relação entre historiador e cidadão, foram outros dos muitos problemas abordados.

Impérios, historiografia, ciências sociais: uma entrevista com Sanjay Subrahmanyam
por Ângela Barreto Xavier, Ricardo Roque, Nuno Gonçalo Monteiro, Isabel Corrêa da Silva, Michel Cahen, Miguel Dantas da Cruz, Nuno Domingos e Ana Rita Amaral, Análise Social, Vol. LIII (1.º), 2018 (n.º 226), pp. 189-206.


Imagem: Sanjay Subrahmanyam publicada em  his.puc-rio.br 

Partilhar