Industrialização, trabalhadores e condições laborais em 1911, Tomar

Créditos: AHS-ICS

ABRIR O ARQUIVO

Fotografia à guarda do Arquivo de História Social, comentada pela historiadora Filipa Lowndes Vicente

Em 1911 um fotógrafo do Estúdio Silva Magalhães, em Tomar, visita uma fábrica de fiação e cria esta imagem. As raparigas, descalças, posam estáticas olhando para a câmara. Nesse ano, um censo de nível nacional revela que as mulheres e as crianças são ainda a principal força de trabalho da mais forte indústria portuguesa, os têxteis.  As mulheres ganhavam menos do que os homens e as crianças ganhavam menos do que as mulheres. Ambas constituíam a mão-de-obra barata e não qualificada que sustentava o tecido industrial português.

(Filipa Lowndes Vicente – ICS Researcher)

O Arquivo de História Social (AHS-ICS), antes designado por Arquivo Histórico das Classes Trabalhadoras, foi fundado em 1979, no então Gabinete de Investigações Sociais. Com a sua criação procurou-se resgatar e conservar documentação para o estudo do movimento operário e sindical. A aquisição de outras coleções de documentos, cobrindo um vasto leque de assuntos, alargou o objetivo inicial do AHS. Hoje o AHS tem à sua guarda fontes importantes para o estudo do anarquismo, do corporativismo, do feminismo, do movimento estudantil, dos movimentos nacionalistas africanos e o do processo revolucionário português (1974-1982)